23 de mai de 2011

DE APRESENTAÇÃO

Sou um duplo que procura
Outro duplo outra sombra
Outra molécula uma estrutura

Espalha comigo criatura
Flores que fiquem como pés caminhando

Sou duplo e busco e esse pensamento estranho
Dentro de mim como sangue em movimento

Colhamos sinas criatura sintomas
De solidão e toques de carne acesa
Comigo!

Sou um estranho dividendo duplo confisco
Quanto chumbo cabe em ti cabe em mim
Molda-me duplo de nós

Guardemos desejos companheiros desejos
De companhia
Guardados melhores estarão que acompanhando-nos

Sou duplo, um ‘ninguém no plural’
Outro susto esta certeza
Uma palavra constante um silêncio.

(17.01.92)
imagem DAQUI
[]

Nenhum comentário:

Postar um comentário