1 de fev de 2012

POESIA PARA DEPOIS



Agora dormir, poesia para depois
Amanhã, trabalho pesado. Poesia para depois

Lembrar de pegar o açúcar no mercado, poesia para depois
Ontem aquele planejamento adiado, poesia para depois

Vencimento da conta de luz, poesia para depois
Barbeador usado e a lâmina cega, poesia para depois

Tantas rugas no meu rosto, poesia para depois
Contigo outra vez e não digo que te desejo, poesia para depois

Um pouco mais de sal neste ovo frito, poesia para depois
Televisão ligada, sono no sofá, vida besta, poesia para depois

Tem remédio para olheiras de sono? Poesia para depois
Sapo morto na beira da estrada, poesia para depois

Sexo solitário, poesia para depois
Quinta-feira consulta do urologista, poesia para depois

A camisa que eu quero vestir agora está suja, poesia para depois
Passar uma lixa nesses pés, poesia para depois...

[01/02/2012]

Hidrografia



Antes calmas águas
cortadas em círculos
recebem as pedras como recebo teu corpo

aceito teu barco manso barco sem rumos.


Sou líquido contínuo.
Rio é Verdade,
águas não, afogam
e não mentem.


[ do livro "Confissões"]
(12.02.92)

imagem DAQUI