26 de mar de 2017

RE-VERSÃO


Respeita tua vontade
criança correndo ladeira abaixo.
Respira a poeira azul do firmamento
sobre teus cabelos ralos.

Destemida despedida
de um velho homem que já não cabe mais
em teu  [novo] formato remoldado.

Oito beijos três abraços líquidas lágrimas e alguns suspiros depois
tudo indevidamente recontado.
Sede dançando sem pudor
podes agora, embora pudesses antes e nem sabias:

paternar a menina sem namorado
seduzir o amigo tenso em teus mamilos
retelhar a casa sem paredes.

Retrata o caminho ainda por traçar
tudo se foi,
tudo há de se renovar,
tudo novamente
mas diferente: tudo é por vir.



11 de mar de 2017

AGUARDANDO


Enternecida hora intervém
entre as diferenças. 
Assomam-se doidas insolentes 
metas.

À essas recorrentes dualidades
socorre algoz desesperança
por sua vez.

Bastaria que à hora propícia
pudéssemos entender o (re)início 
definitivo de qualquer tempo.
-

março 2017

[ imagem daqui ]

AFIRMAÇÃO